Olá, pessoal, tudo bem?
 
Hoje vamos falar de um assunto nada agradável que, cada vez mais, vem complicando o mercado de casamentos e deixando muita gente furiosa/desolada: TAXAS
 
Imagine que, desde pequenininha, você sonha em se casar na Igreja X. A sua vida toda se viu entrando de branco, imaginou cada cena… aí você cresceu, conheceu uma pessoa super bacana, ficou noiva e começaram os preparativos para o grande dia. Você vai até aquela igreja linda, fazendo mil planos, e começa o pesadelo:
 
1- Taxa de celebração
Sim, algumas igrejas cobram taxas altíssimas para celebrar o seu casamento. Por lei, a igreja não pode cobrar mais do que cobra um cartório, para realizar um casamento civil (ou seja, em torno de R$400,00 em valores atuais), mas tem igreja por aí cobrando R$5.000, R$8.000 e por aí vai! Mas não é só isso, também te entregam o:
 
2- Guia de indicações
Que seria uma coisa super fofa da parte deles, certo? Ajudar os casais que estão começando os preparativos para o dia mais importante de sua vida, indicando empresas e profissionais idôneos, que foram minuciosamente pesquisados por eles e que não te darão nenhum problema, certo? ERRADO!!!
 
Cada profissional paga entre $1.000,00 e R$15.000,00, em média, para fazer parte dos tais guias, para cada igreja em que ele se “credenciar”. Então, vamos fazer uma continha simples:
 
Em uma cidade como São Paulo temos muitas, muitas igrejas. As mais famosas têm o tal do Guia. Então, por exemplo, se um fotógrafo quiser fazer parte do Guia de 10 igrejas, vai gastar, só para ter o seu nome lá, entre R$ 15.000 e R$150.000 por ano, dependendo do quanto ele quer aparecer nos livrinhos.
 
Mas não para por aí!! Além do anúncio, que o habilita a trabalhar na tal igreja, a cada evento fechado ele faz uma “doação”. SIM, é dessa forma que eles dão os recibos das taxas que eles não podem cobrar. São R$300 a R$500 por evento executado. Mas os profissionais credenciados não te contam isso, embutem esse ”investimento” no valor do trabalho.
 
Mas e quem não acha correto ter de pagar para trabalhar numa igreja (que cá entre nós, é a casa de Deus, não? Todos deveríamos ser bem-vindos lá, não acham?)? Esses sofrem! Algumas igrejas chegam a proibir a entrada de quem não faz parte do Guia sem nenhuma justificativa, e outras cobram taxas, mais taxas! Essas taxas podem variar de R$200 para igrejas de bairro menos conhecidas, a R$2.000 ou mais, em igrejas mais procuradas.
 
E quem paga por isso? VOCÊS! Isso mesmo, vocês. Ou com o valor a mais que o credenciado colocou no seu orçamento e não te falou, ou pagando a taxa para a igreja, o que as vezes faz você desistir do seu sonho.
 
Coloque uma taxa dessa para cada profissional e faça suas contas… cada um deles pagou o anúncio e a doação do evento. Então, arredondando (e rateando pela média de eventos que talvez ele feche por conta do anúncio), cada profissional ali aumenta cerca de R$700,00 o seu orçamento (de foto, de banda/coral, de decoração, etc.), e seu orçamento, só nisso já poderia ser quase R$3.000 mais barato. Já pensou?
 
Mas o que fazer então?
 
Procure igrejas ou espaços que não cobrem taxas abusivas. Se baseie na taxa do casamento civil (igrejas sérias não cobram mais do que a lei exige) ou que não imponham a contratação de um profissional do Guia deles. Temos certeza de que sua cidade terá um local perfeito para o seu casamento e para o seu bolso!!